domingo, agosto 02, 2009

Ele fazia parte de uma lista

Todas as mulheres por mais diferentes que aparentam ser umas das outras, acabam por possuir algo em comum, o desejo de um homem que as complete. Mas que homem seria esse? Qualquer um que pudesse completar o vazio, o sentimento ou o profundo desejo feminino. As mulheres desejam e desejam, querem um homem completo. Alguém para lhes esquentar nos dias de frio, jogar conversa fora na madrugada de insônia, ir ao cinema, sair para dançar, lhe dar presentes, abrir a porta do carro, fazer amor muito bem feito, fazê-la rir o dia inteiro, fazê-la sentir a mulher mais linda do mundo e até mesmo agüentar ele fritar seus miolos resmungando que seu time foi para a segunda divisão. Como um homem desses não existe com todas essas características, o jeito é ter todos, uma para cada ocasião, que nem vestido de festa. Chegou a vez das mulheres fazerem dos homens os seus objetos e muitas já os fazem e são, lógico, bem mais discretas que eles, sem deixar se quer um vestígio. Não importa a idade, seja de vinte ou quarenta, solteira ou casada, elas querem se sentir completas. Outro dia ouvi um papo de amizade colorida; sem querer se envolver, ela que tinha acabado um relacionamento, recebia sempre convites para sair, mas acabava recusando. Certo dia acabou cedendo, afinal de contas o pretendente de certo modo a deixava de pernas bambas. Ela se viu nos braços deste homem, deixou de ser romântica, nada de jantares, passeios ou lugares públicos e muito menos telefonemas para perguntar como foi o seu dia. Por outro lado muita energia sobre os lençóis, aquela química louca, pele e cumplicidade. Essa “amizade colorida’’ como dizem, só lhes colocava num grande risco, o de se apaixonarem e envolverem com todo aquele movimento, coisa que poderia facilmente acontecer. Ela jamais imaginou estar com alguém simples e puramente por sexo. Depois deste objeto sexual ela teve vários outros em sua lista, o boyzinho que era o seu troféu para sair, o baladeiro, o que lhe acompanhava em suas viagens, o intelectual para os papos cabeça, o muito gato para ficar horas beijando, dentre outros sem muita lembrança. Assim foram seus relacionamentos, uns fúteis outros nem tanto. Todos nós já tivemos relacionamentos fúteis, e quem nunca teve? Ela foi vivendo assim, da sua lista de homens conseguiu uma proesa, todos em um só. Felizmente encontrou aquele que fazia o serviço completo. Se casaram e ele jamais soube que fazia parte de uma lista de possíveis pretendentes e que um dia seria escolhido para lhe completar.

4 comentários:

Maíra disse...

Nossa muito bom!Informações 100% verídicas!Gostei =)

Daniele Braga disse...

Andréeeeeee!!!!

Eu amo o estilogon, não deixa de me mandar todos heim!!

Beijão!!!!!

Ana Cláudia Praxedes disse...

Só passei pra dizer que adorei os textos....

Bjussss

Ivan disse...

Nossa! Será que também faço parte de uma lista? akakaka at+