sexta-feira, setembro 25, 2009

foto:reprodução
Jogo de Desejos

Existem situações que são inevitáveis. Com ela foi assim ao se apaixonar loucamente por aquele homem mais velho que poderia perfeitamente ser seu pai na fila do supermercado ou dirigindo o carro. Seus cabelos grisalhos, exalando sedução, inteligência e experiência de vida, fez com que ela ficasse totalmente atraída por ele. Não mexeu uma palha para tentar esquecer aquele quarentão e de cara encarnou o estilo Lolita do russo Vladimir Nabokov - livro publicado em 1955. Corpo de menina, meio mulher, ela o seduzia com seu olhar inocente, na certeza de que o teria. As mulheres que tem uma caidinha por homens mais velhos na realidade querem estabilidade, segurança afetiva, emocional e porque não material? Na verdade todos nós necessitamos de segurança. Ela queria um homem experiente e o teve. Ele então lhe deu a experiência que tanto queria e em troca recebeu frescor, sonhos e planos, como se tudo na sua vida tivesse voltado no tempo. Ao lado dela se sentia mais forte, potente e útil. Com aquele namoro ele esbanjava vitalidade e divertimento. No quesito a dois ele só tinha uma preocupação, a de lhe proporcionar prazer intenso. Está gostando da idéia? Ela adorava tudo, principalmente as preliminares, quanta criatividade! A maturidade dele era sem dúvida um grande atrativo, até que ela descobriu que com os anos de vida ele também carregava um kit família. Que situação! Ex-mulher e filhos. Levantou então a bandeira branca a seu favor. Dos filhos dele se tornou amiga e foi aceita no território. A ex, fingiu que não existia, pelo menos tentava. O mais inusitado foi quando alguma de suas amigas a perguntou se os filhos dele eram gatinhos. O que ela respondeu? O que conveio no momento, nessas horas não existe regras de etiqueta para serem seguidas. Alguns familiares torceram o nariz para a relação. Então eles ligaram o foda-se e lembraram a todos quem pagava suas contas. Nesse jogo de desejos, vaidade e poder, eles se conquistaram, cada um com seu fascínio.

3 comentários:

Ivan Gonçalves disse...

Que coisa heim! Muito bom o texto! at+

Simone Pitchon disse...

Num romance o conta é o amor, idade, sexo, cor, religião, fica em segundo plano. Adoro ler suas histórias sem fronteiras...
Bjus,

Pitchon

Maíra disse...

Muito bom o texto mesmo ... o perconceito permanece ainda de várias formas no mundo,fato. =)