domingo, novembro 29, 2009

Inocente Maldade
foto: reprodução
Jovem, bonita, admirada por suas belas curvas, jamais pensou que teria de entrar no bisturi de forma tão repentina. Aparentemente não havia nada de errado em seus seios. Talvez o problema não estivesse neles, mas em sua cabeça dominada por sua ganância, vulnerabilidade, fraqueza e um bocado de má influência. Sentada na clandestina sala de cirurgia, ela aguardava a sua vez, decidida e convencida do que faria. Mal sabia que tomara a pior decisão de sua vida ao lado da pessoa que lhe transmitia aparentemente, a maior segurança do mundo, o seu namorado. Iludida no sonho de gastar todo o seu tempo com viagens, comprando roupas e perfumes caros, porém sem dinheiro suficiente para tal realização, cegamente se deixou levar pela lábia dele, cheia de falsas promessas. Seu amor era intenso, sentia-se totalmente amada e protegida ao seu lado. Após a retaliação do bisturi, o par de seios que daria amor e alimento, perdera a sua função fraterna, para servir aos traficantes e a todo o tráfico organizado. Um desses traficantes era o seu namorado. Ela sabia de tudo, mas mesmo assim o amava e compartilhava de toda aquela vida suja e ilícita. Gostava do perigo, este relacionamento lhe dava um prazer pirado, igualmente às falsas sensações de bem estar e euforia que as drogas proporcionam e que posteriormente te levam para o buraco. Seus seios, a partir daquele momento, passariam a ser o esconderijo perfeito da cocaína, do ecstasy e da maconha. Seu corpo agora estava pronto para servir de transporte dos pós, das pílulas e das ervas. Ela estava a serviço do tráfico. A sua esplendorosa beleza enganara por muitas vezes toda a inteligência da polícia, burlando qualquer fiscalização que aparecesse em seu caminho. A ilegalidade passara longe daquele olhar falsamente imaculado, driblando a todos. Com a droga alojada em seu corpo foi para vários lugares e conheceu todos os destinos onde a mercadoria deveria ser entregue. E como num final clichê para quem leva esse tipo de vida, ele foi morto e ela não tem mais tempo para gastar com suas falsas ilusões. Da cadeia espera a hora de sair e se redimir a todas as vidas que se foram com um dedinho da sua inocente maldade.


3 comentários:

Simone Pitchon disse...

Nossa que texto louco, me deu medo..rsrs

Maria Flávia disse...

Pra variar: a-do-reiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!

Beijos

Maíra disse...

Nossa PERFEITO esse texto!Gostei muito mesmo...essa realmente é a realidade de várias pessoas.Uma triste e pura realidade que a cada dia que passa,vai se tornando cada vez mais real.